domingo, 15 de novembro de 2009

The Big Muscles Theory

- Sheldon, é bom que isso funcione. Deu um trabalhão conseguir essa máquina de bronzeamento para ser transformada nessa sua máquina do crescimento muscular.
- Calma, caro Leonard. Cada cálculo foi revisado inúmeras vezes.
- E ela realmente é capaz de nos deixar musculosos como o Capitão América?
- Sua comperação é quase correta, Leonard. Todos sabem que o Capitão América é fruto de um soro enquanto isso é uma máquina de raios. Mas sim, os resultados finais serão bem semelhantes, se é o que você quer saber.
- Você é doido.
- Veremos. Ratos de laboratório?
- Acho que eles estão... no laboratório.
- Leonard, eu deveria lembrá-lo de quão importantes são os testes com ratos antes de usar a máquina em humanos? Vamos, venha comigo ao laboratório.
Assim que os dois nerds saem da sala, tão apressados que esqueceram de trancar a porta, Penny entra no apartamento.
- Rapazes? Rapazes...? Não tem ninguém em casa. Oh, uma máquina de bronzeamento artificial! Bem que eu tô precisando... ando tão branquela. Olá, biquini!
A loira ficou só de biquini num segundo e não demorou a encontrar o botão de ligar. As luzes da máquina se acenderam e ela entrou:
- Bronze, aí vou eu! - ela disse, antes de fechar os olhos.
Logo depois de começar a "sessão", a máquina começou a tremer. A luz no prédio tinha picos de energia e a tampa fechou-se, prendendo Penny dentro da máquina.
- Leonard! Sheldon! O que está acontecendo?!!! Aaaaagh!
Cerca de 15 minutos depois, a máquina parou e abriu a tampa. Penny estava acordada, porém atordoada, e se levantou. No exato momento em que Leonard e Sheldon entravam na sala, ela saía da máquina.
- P...P...Penny? - Leonard perguntou, num misto de preocupação com ela e com os efeitos que a máquina poderia causar nela.
Penny disse:
- Essa máquina tá estragada! Foi o pior bronzeadmento que eu já vi. Ops! Que sensação é essa?
- Oh, oh... - disse Sheldon, já arregalando os olhos para o que começava a acontecer.
O corpo de Penny tomou uma cor quente, parecida com um bronzeado muito saudável.
- Parece que isso começou a funcionar! - a loirinha disse, sem imaginar o que estava por vir.
Penny começou a sentir seu pescoço apertar a gola da camisa, mas isso não a machucava. Em pouco tempo, os músculos do trapézio cresceram rompendo as costuras.
- O q... o que é isso? Leonard!
Os peitorais inflaram como balões, mas o aspecto não tinha nada de borracha: pareciam duas esculturas talhadas na pedra, com um vale perfeito entre elas que podia ser visto do decote. Ela olhou para seus ombros e braços que começavam a crescer, cobertos por um suor quente que realçava os músculos em crescimento arrebatador. Os ombros viraram bolas massivas e ela olhava para os antebraços que ganhavam definição a cada segundo. Institntivamente, ela fez um flex de bíceps e viu crescer uma montanha de músculo dividida ao meio por um corte preciso e delicioso. Ela correu o dedo por aquela fenda sem acreditar, cheia de prazer. O prazer ficou tão intenso que suas pernas não aguentaram, mesmo com a força descomunal que ganhavam a cada segundo. Penny caiu de joelhos, enquanto suas coxas viraram duas toras de pura definição que rasgavam o jeans, transformando a calça num shortinho. As panturrilhas, agora duas bolas de músculo que podiam não podiam ser escondidas mesmo quando Penny era vista de frente, terminavam em tornozelos que mediam o mesmo que antes. Como tornozelos, joelhos e pezinhos continuaram do mesmo tamanho, o tamanho dos músculos era ainda mais dramático. Penny levantou o resto de blusa que ela ainda carregava para revelar oito gominhos de músculo, duros feito aço, que terminavam e pequenas veias que desciam até onde começava sua xoxota. Parece que muito mais sangue era bombeado pelo seu corpo, causando um tesão súbito que terminou numa série de orgasmos maravilhosos, que deixaram Penny no chão, extasiada.
Ela se levantou, espantada com a força descomunal que sentia no seu corpo. Descomunal também era o tesão que ela sentia. Todo o seu corpo pulsava, exalando um calor absurdo. Nunca experimentou um furor tão grande na buceta quanto naquela hora. Poderia foder 10 homens fortes e deixar todos eles acabados, e ainda tocar uma siririca depois. Mas tudo que ela tinha eram aqueles dois nerds, com ereções enormes saltando da calça. Depois de mansturbar Sheldon, que gozou com apenas duas estocadas daquelas mãos quentes e delicadas que Penny tinha, ela se virou para Leonard e disse:
- Você não. Você entra na máquina. Você vai virar o único homem no mundo capaz de encarar isso aqui. - e fez um duplo flex de bíceps que fez Sheldon gozar de novo.



Penny levantou Leonard como se fosse uma pena e o depositou dentro da máquina. Enquanto andava, ela sentia a força de seus novos músculos vaginais entre as pernas. Vorazes, eles soltavam um suco de cheiro forte e delicioso, prontos para devorar qualquer pau que encontrassem pela frente. Mas ela não queria qualquer um.
Ela ligou a máquina, que tremeu, causou picos e luz e parou. Leonard saiu e, minutos depois, outra transformação teve lugar. Penny assistiu aquilo tudo com uma ansiedade tão grande quanto seu tesão e o resultado não desapontou: Leonard tinha virado um garanhão musculoso e, do meio de suas pernas, saltava o pau mais gigantesco que Penny já tinha visto.
- Ele é musculoso, também? - ela perguntou.
- Olha isso. - respondeu Leonard antes de "flexionar" o cacete, mostrando controle total sobre ele.
- Uau! - Penny tinha a boca cheia d'água quando avançou sobre ele.
A loira beijava a cabeça e enfiava aquele cacete na boca com voracidade impressionante, quando sentiu uma onda percorrê-lo.
- Já?
- Não se preocupe. De onde vem esse tem muito mais.
E tinha mesmo. Leonard despejou litros de porra na boca de Penny, sem que seu pau baixasse depois. Ela engoliu com gosto e disse:
- Sua vez de usar os músculos da boca.
Uma língua normal não conseguiria dar muito prazer a Penny, mas Leonard podia. Com aquele vai e vem no clitóris, ela não resistiu e recomeçou a chupar seu amante, num 69 tórrido, feito de músculos, tesão e pura energia. A gozada foi homérica.
Naquela noite, eles treparam em todas as posições, com Penny exalando poder sexual, que era prontamente correspondido por Leonard. Mas o ápice aconteceu quando Leonard quis enrabar Penny. O cuzinho musculoso de Penny era apertadíssimo, com toda aquela contração de músculos poderosíssimos. Mesmo para Leonard foi difícil penetrar aquele buraquinho rosado e rodeado por pelinhos loiros. No fim, venceu a força do cacete de Leonard, que bombeou até ambos chegarem ao clímax.
Deitados no solo, eles se entreolharam:
- Cansada?
- Você deve estar doido! - ela disse, antes de recomeçar.

Nenhum comentário: