terça-feira, 8 de setembro de 2009

Encontro de dois mundos - Parte 1

Bairro do Limoeiro, numa tarde qualquer.
Aqui mora uma gordinha dentuça que todo mundo conhece e um garoto que troca o r pelo l.
Acontece que a turma cresceu, já era quase adulta com seus 19 anos e os hormônios em polvorosa. Mas quem podia ser visto por aquela vizinhança era outro pessoal bem conhecido:
- Mas Olívia, tem certeza que o Gugu veio parar aqui?
- Claro, Popeye. O amiguinho dele mora em algum lugar...
- Ouviu o barulho de alguma coisa caindo no chão? Parecia metal.
- Não, Olivia. Deve ser impressão sua. Com todos os camarões do mar! Acho que encontrei a casa! Vamos.
(...)
Algum tempo depois, uma moça dentucinha passeia ao lado de um rapaz que não gosta muito de banho. Ela diz, em voz chorona:
- Nem acredito! Como o Cebolinha foi fazer isso comigo. Logo minha melhor amiga Magali.
- É, nem dá pra acreditar. Mas faz tempo que ele tá reparando nela, desde que ela fez aquela dieta e começou a malhar pesado. Também, né: a garota foi de gordinha a Miss Fitness!
- Pois é. Eu devia ter desconfiado que o Cebolinha gostava de forçudas. Todo aquele tempo apanhando e eu nem desconfiei. Burra! Agora tenho que curtir dor de cotovelo. E olha pra mim agora: uma dama. Não consigo mais fazer nada daquilo. Olha esse braço.
Ela flexionou um braço sequinho, que a maioria das meninas ia querer ter, mas pra ela já não servia:
- O que eu faço, Cascão? Cascão?
Quando olhou para trás, Mônica viu Cascão com uma lata nas mãos. Ele reclamava.
- Cara... tropecei nessa lata esquisita. Olha o que tá escrito: ISPINACHI.
- Não é ispinachi, bobão. É spinach, espinafre em inglês.
- Igual o que o Popeye comia pra ficar fortão?
- Igual ao que o Po... - nessa hora, uma idéia maluca passou pela cabeça da Mônica. Será? Bom, ela não tinha nada a perder. - Dá aqui esta lata!
Ela tomou a lata da mão do Cascão e comeu tudo de uma vez só. Mal mastigou e engoliu. Magicamente, o conteúdo da lata bateu até os seus pés e veio subindo... de uma forma diferente.
Os pezinhos delicados se tornaram fortes. Músculos começaram a se formar nos tornozelos e subiram pela panturrilha até formar duas bolas enormes, cortadas ao meio. Mais e mais músculos subiam e formaram duas coxas grossas feito troncos de árvores. Seis gominhos de músculos pularam da barriga fazendo POP! e os peitinhos - que viraram peitões - estavam em cima de duas massas de puro músculo que eram os peitorais. A musculatura continuou crescendo até atingir os braços. No movimento de ida até os punhos, os músculos cobriram cada centímetro formando bíceps enormes. Ao atingir os punhos, fizeram um movimento de bate e volta e desceram pelos braços fazendo-os dobrar de tamanho. Isso ficou evidente no maravilhoso duplo biceps que Mônica fez. Ao fim da transformação, ela flexionou todos os músculos do corpo, sua pele ganhou uma coloração bronzeada e um aspecto de metal, transformando a garota num perfeito troféu de fisiculturismo.
Cascão olhava para tudo aquilo boquiaberto, sem nem perceber a ereção que saltava de suas calças.
- Preciso recuperar um "calinha". - disse ela, com uma risadinha.

Um comentário:

megallus disse...

muito legal espero que continue a historia.